O Dia em Que Super-Homem Matou Louis Lane


Em Smallville, o jovem Clark Kent, então com 13 anos, começava a descobrir sua sexualidade. De posse de um catálogo da Sears que mostrava camisolas, enviado para Martha Kent, sua mãe adotiva, Clark foi para seu quarto levando o coração em sobressalto, loção hidratante e um lenço – além de uma ereção pulsante.
Diante da foto de uma camisola preta para além dos joelhos (US$ 3,95 – entregue em casa), Clark começou a massagear o seu pequeno super-homem que despertava de um longo sono. O resultado foi um desastre. Leve em conta que o esperma masculino sai da base de lançamento a 45 km/h. Bem, o de Clark saiu a 4.500 km por hora, o que foi suficiente para vazar o teto modesto da família Kent e derrubar um helicóptero que sobrevoava a região, matando quatro pessoas.
Desde então o Super-Homem se absteve de qualquer tipo de atividade sexual. O que já é difícil para homens normais, era um sacrifício enorme para alguém com visão de raios-X, capaz de ver as moças nuas por debaixo de suas roupas.
O herói desenvolveu um caso crônico de blue balls, a dor nos testículos resultante de uma ereção que não é resolvida pela ejaculação. A dor era tanta que ele decidiu usar duas cuecas – uma por dentro e outra por fora da roupa, para segurar seus testículos e evitar o mínimo movimento.

“Meu saco…”
Daí ele começou a namorar Louis Lane, que por sinal era a piranha mor do Planeta Diário, tendo tido um caso até com o veterno Perry White, e ela estava sedenta de sexo. O Super-Homem explicou sua condição e Louis encontrou uma solução: Fazer uma camisinha com o recorte de um pequeno pedaço da super capa do herói (“Até que enfim essa porra vai servir para alguma coisa” declarou a repórter e piranha).
Vale um esclarecimento. Os homens de Krypton tinham paus muito pequenos. No vestiário da Liga da Justiça os outros heróis riam muito do Super-Homem, que costumava responder “É que em Krypton só tinha mulher séria, não tinha esses bucetões arrombados aqui da Terra, como o da tua mãe”.
Pois bem, costurada e vestida a mini capa, Louis e Clark partiram para a ação. O que eles não esperavam é que anos de repressão provocassem uma ejaculação monstro, capaz de rivalizar com a erupção dos piores vulcões.
O esperma do Super-Homem entrou rasgando o que via pela frente e despejou um quadro que rivalizaria com as melhores obras de Jackson Pollock na cabeceira da cama, usando como tinta os miolos e pedaços do crânio de Louis.

Super-Homem voltou ao celibato. Nunca se esqueceu dos segundos que viveu com Louis naquele quarto (sim, ele era super rápido na cama também). Nem de acrescentar uma terceira cueca à sua indumentária.

3 Respostas para “O Dia em Que Super-Homem Matou Louis Lane

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s