Evergreen – A Gravação Misteriosa de Sinatra

Em 12 de Novembro de 1976 Frank Sinatra entrou no estúdio para gravar um arranjo de Nelson Riddle para Evergreen, a canção composta por Barbra Streisand e que se tornou sua assinatura.

Sinatra gravou duas versões da canção, mas só a primeira está (quase) completa – e é esta na qual ele, ao invés de cantar o final, simplesmente assobia.

Ele deveria dublar depois, mas, por razões desconhecidas, abandonou a canção, na qual Nelson colocou uma levada de bossa nossa, com os violonistas  Mitchell Holder e Dennis Budimir.

A canção tem circulado somente entre colecionadores, já que a família, por julgá-la incompleta, vetou seu lançamento.

Uma pena, como dá para conferir neste link (enquanto ele não for retirado do ar…)

Esta e outras raridades (entre outras coisas) estão na minha rádio no twitter, no endereço http://twitradio.com.br/RenzoMora

5 Respostas para “Evergreen – A Gravação Misteriosa de Sinatra

  1. Nossa, mas que lindo isso!
    Incompleto estou eu, sabendo que não vai aparecer no pop americano uma figura com o talento do Sinatra pra dar tanta força para uma canção.

  2. Epa! Tive sorte de ainda escutá-la. Ainda bem que não tiraram…

    Renzo, também não entendo o critério que utilizam para o veto. Imagina quantas estão vagando por aí nas mãos de colecionadores. (ainda bem)

    Mas provavelmente muitas foram proibidas pelos administradores dos bens do Frank.
    Certa vez conversei com uma amiga próxima deles e perguntei sobre o material que estava guardado a sete chaves (imaginei aquele depósito do filme do Indiana Jones onde é guardado a arca…) o que iriam fazer, se a família iria lançar. Ela simplesmente respondeu que não há um só administrando, às vezes uma concorda e outro (ou outra) não, então ficamos aguardando a boa vontade…

    Sávio

    • Parece que a palavra final é da Nancy, filha dele. Depois da morte de Frank, a viúva Barbara ficou com os direitos da fase da Capitol e os filhos com a fase da Reprise, que é a que tem mais coisas inéditas. Nancy já disse mais de uma vez que gravações imperfeitas ou concertos nos quais o pai não estivesse 100% não deveriam ser lançados.
      O concerto do Maracanã, por exemplo, tem alguns lapsos de Frank, que esqueceu a letra de Strangers In The Night. Isso tira a emoção do show? Para nós, não.
      Body And Soul foi gravada para LA Is My Lady. Só foi lançada depois de editada e com um arranjo de cordas pior do que a versão original, que tinha uma levada de jazz.
      Vai entender os critérios dos guardiões do tesouro…

  3. Pois é Renzo, a questão dos filhos é a mais complicada. Ha mais ousadia do Frank nesse período (reprise).
    Só nos resta aguardar.

    Abraço,

    Sávio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s