Ingrid Betancourt, A Mártir da Selva Colombiana

Sim, senhores, Renzo Mora é praticamente o polvo Paul da blogsfera: o mesmo charme, a mesma agilidade, a mesma beleza estonteante, mas – principalmente – o mesmo dom da profecia que abençoou notáveis como Nostradamus, Samuel, Isaías e o famoso molusco alemão.

Em 27 de Fevereiro de 2009 postei um blog intitulado “Nunca me Enganou” no qual eu dizia, basicamente, que Ingrid Betancourt, com sua carinha de mártir, fazia meu bitch radar disparar, oscilando furiosamente para o vermelho cada vez que eu a via (o que eu batizei carinhosamente de “Efeito Dilma”, em homenagem ao poste do Lula).

Claro, na época nem todo mundo a percebia da mesma forma.

A descrição que Rosangela Lyra, sogra do jogador Kaká, fez de seu encontro com a musa das selvas colombianas no caríssimo Hotel Fouquet’s Barrière, em Paris, permanece uma das coisas mais engraçadas que já li: “Não foi obra do acaso, mas do Todo-Poderoso, assegurou a mãe de Caroline Celico à colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo. ”Tremi inteira”, confessou Rosangela, que àquela altura, não fosse a providência divina, deveria estar na Polônia, cumprindo uma ”missão religiosa”. As duas se abraçaram, ”trocaram emoções” (e uma garrafa com água benta de Lourdes), conversaram ”como se fossem amigas de uma vida”. Em espanhol, francês e, ainda segundo Rosângela, na ”língua de Deus””

(A descrição acima  é parte do texto do Sérgio Augusto, um dos melhores do país)

Agora a ex-refém da guerrilha das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), Ingrid Betancourt, quer uma indenização do Estado colombiano pelas perdas econômicas e pelos danos morais sofridos durante seus seis anos de cativeiro, um processo que poderá alcançar o valor de 6,5 milhões de dólares, informou nesta sexta-feira um governo “pesaroso”.

Trata-se do mesmo governo que, através da força pública, fez recomendações  para que ela evitasse a viagem na qual foi capturada pelos guerrilheiros. E do mesmo governo que planejou e executou a Operação Xeque, com a qual se conseguiu o resgate de Ingrid, de três americanos e onze policiais e militares colombianos.

Resta saber se o processo foi redigido em espanhol ou na língua de Deus, idioma que, de acordo com Rosangela Lyra, Ingrid domina com perfeição.

2 Respostas para “Ingrid Betancourt, A Mártir da Selva Colombiana

    • Vamos combinar o seguinte, Nei:
      Quando um de nós antecipar o número da quina acumulada, passa imediata e secretamente para o outro.
      Uma hora esse dom da profecia tem que servir para alguma coisa!!!
      Abraços, irmão
      Renzo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s