Marcelo Madureira, do Casseta e Planeta, Talvez Tenha Passado Por Aqui

Recebo, a respeito de meu post “Peréio Nunca Está Errado” , um comentário assinado por Marcelo Madureira, do Casseta e Planeta.
Neste mundo de genéricos que assombra a internet, não posso afirmar que realmente seja dele, mas vai a transcrição de seu suposto comentário com minha resposta.
Sou grande fã do Marcelo – pelos motivos que detalho em minha resposta – e espero que ele REALMENTE tenha passado por aqui, ainda que para discordar da minha opinião.

Prezada Redação, com vistas para a Cissa Guimarães e o Paulo Cesar Pereio
Gente, temos de reconhecer que no momento ninguém supera os mineiros quanto às conquistas femininas, deixando os cariocas, paulistas e paranaenses babacas como eu chupando dedos. Aécio Neves está aí mesmo, atacando em todas as frentes, desde concursos de misses até ensaios de Escolas de Sambas, para confirmar o fato, pois mulher bonita que passa na frente do neto do Tancredo é ‘creu’, mas há também outros mineiros agindo e ‘comendo quietos’.
Portanto, veja o site abaixo com as proezas de outro mineiro matreiro, o Rei das Estagiárias, Francisco Barbosa, comunicador da Rádio Tupi do Rio de Janeiro, ícone da Rua Halfeld de Juiz de Fora, atualmente um emérito ‘matador’ de mulheres (como bom mineiro, ele nega tudo), seguindo a trilha do Mariel Mariscott (In Memoriam), o Doca Street (antes de se tornar assassino), o Vando, o Daniel Filho, o Marco Paulo, o Fábio Jr., o Tarcísio Meira (pai, o filho é bichona) e aproximando-se até do Raul Mascarenhas, o saxofonista das noites cariocas e dos bistrós parisienses.
http://community.webshots.com/user/ultimas_da_juju_carioca
Mas o Raul é ‘barra-pesada’, quase hors-concours. No seu curriculum consta a Fafá de Belém (deixou filha), a Cissa Guimarães (deixou filho, ex-Paulo César Pereio – Cissa, Cissa, como V. pôde, no auge de seus encantos e juventude, se envolver com uma escória nojenta como o Paulo Cesar Pereio, um sujeito abjeto, desprezível, grosseirão, péssimo ator, só se expressa usando palavrões, viciado em todos os tipos de drogas, alcoólatra, caloteiro (ele me pediu um bom dinheiro, alegando problemas de saúde na família e até hoje não me pagou. Que asno que fui ao confiar no Pereio!), diz-se machão mas é um notório homossexual (daqueles tipos gaúchos que eu como paranaense conheço bem), fedorento, asqueroso e tudo o mais? Imagino que V. deve ter acessos de vômitos quando se lembra dessa besteira que fez em sua vida. Responda, minha doce Cissa!), bem, continuando com as conquistas do Raul, a viúva Tom Jobim (uma parceria musical!), a cantora Joyce, a Gal Costa (até ela!), a Lucinha Lins (ex-Ivan Lins; o filho de quem é?), a Ângela Vieira mas rejeitou a Suzana, a Vera Fisher (o Raul não suportou a ‘barra’ e saiu de fininho!), a Zizi Possi (deixou filha, ex-Ângela Ro Ro), a Vanda Sá (ex-Edu Lobo; o filho de quem é? Sim, porque com o Raul tudo é possível!…), a Cássia Kiss, a Kate Lyra (atual ou ex-Carlinhos Lyra), a Flávia Alessandra (ex-Marco Paulo), a Senadora Patrícia Gomes (ex-Ciro Gomes, que desde então se tornou corno manso e alvo dos comentários do ‘trovador’ e humorista Falcão) e uma infinidade de starlets e socialites (dizem que até a Carmen Mayrink Veiga, no início de sua ‘carreira’, dele), que fazem tudo pra ter um ‘caso com o Raul’. E olhe que o Raul é radicado em Paris, França; imagine se ele desse expediente integral no Brasil!…
Com os melhores respeitos do
Marcelo Madureira

Amigos:
Se o Marcelo Madureira visitou esse site, estou honrado.
O cara é um dos melhores textos do país.
Sua entrevista ao Zé do Caixão, dizendo que o veterano José Mojica Marins era muito melhor do que o Glauber Rocha, foi uma das coisas mais lúcidas e corajosas que já vi.
Mais ainda, seu posicionamento sobre o governo Lula e suas tentativas de limitar a liberdade de imprensa é admirável.
Vai um exemplo de sua atitude, que deveria ser imitada por todos aqueles que têm visibilidade, voz e coragem:

Enfim: Se este texto for do verdadeiro Marcelo, e não de um desses genéricos que assombram a Internet, estou muito feliz.
De qualquer forma, só tenho a discordar do fato de Pereio ser um péssimo ator. Pereio é ótimo. Torna qualquer coisa assistível (proeza que só ele e o Christopher Walken conseguem). Outro dia, em uma homenagem ao Salinger, Pereio leu algumas passagens do escritor. Emocionante. Quanto ao caráter do Peréio, alguns dos meus maiores ídolos – Sinatra, Miles Davis, e outros – tinham um perfil parecido. Sinatra ao lado de mafiosos e do Nixon, Miles com traficantes de última categoria.
Caráter e genialidade são coisas absolutamente distintas, e se o Marcelo Madureira tomou um calote do Pereio, ajudou um dos grandes talentos desse país.
Uma postura tão admirável quanto defender o trabalho do Zé do Caixão, um de nossos melhores cineastas.
Ou seja: só aumenta minha admiração pelo grande Marcelo.
Nos cruzamos (eu e a turma do Casseta) uma vez, nos bastidores do programa do Jô Soares, quando ambos fomos entrevistados, e eu não tive coragem de falar com ele (embora o Reinaldo, grande cartunista, tenha sido muito simpático comigo).

Estava lançando meu primeiro livro e meio intimidado, então fiquei na minha, não entrei naqueles delírios de “agora sou celebridade, vou me enturmar”.
Pena: se por um lado deixei de fazer papel de idiota, por outro perdi a chance de um grande papo.
Saudações, Marcelo.
Se não for o verdadeiro Marcelo, fica a exposição de como o seu nome vem sendo usado por terceiros.
Mas, é claro, eu gostaria muito que fosse o cara…
Abraços do fã

Renzo Mora

6 Respostas para “Marcelo Madureira, do Casseta e Planeta, Talvez Tenha Passado Por Aqui

  1. vocês não sabem se eu estou vivo ou morto
    vocês só sabem que eu penso
    vocês não sabem o que eu penso
    vocês só sabem que eu estou vivo ou morto

    vocês não sabem se eu estou no chão ou no teto
    vocês só sabem que eu escrevo
    vocês não sabem o que eu escrevo
    vocês só sabem que eu estou no chão ou no teto

    vocês nâo sabem o que aconteceu
    o que está acontecendo
    o que vai acontecer

    vocês só sabem que aconteceu
    que está acontecendo
    que vai acontecer

  2. Permita-me uma discordância, caro Renzo, mas preciso dizer. O Zé do Caixão pode ser bom, infelizmente sou daqueles brasileiros que não assistiram às obras do homem, e acho ótimo ele ser o diretor brasileiro mais conhecido lá fora (mil vezes ele que vários dos nossos “artistas”), muita gente boa que conheço admira o trabalho do cara. Mas dizer que o Glauber era um merda não é simplesmente uma questão de opinião, é ser simplesmente desagradável, reducionista e, além disso, uma besta! Vai pro Faustão avacalhar com “patifarias globais”, mas não se meta a falar merda, por favor!

    • Grande Luiz:
      Nada contra o Glauber, mas tudo a favor do Zé.
      Acho que é no primeiro filme dele – existe uma cena em que passa uma Procissão e ele, da janela, comendo carne (o que era interdito dos católicos), ri dos participantes. A composição de cena é ótima – o plano cobre ele na mesa e o cortejo visto da janela.
      Luiz: É uma puta cena, uma das melhores coisas do cinema. Não só em termos de composição, mas também em termos de ousadia – em plenos anos 1960, um cara rindo de um rito católico.
      Existe um folclore cercando o Zé – e ele, por falta de controle sobre a própria carreira, acabou estimulando isso, que tornou o personagem mais importante que o diretor.
      Mas basta ver os filmes dele para ter certeza de que ele era melhor do que o Glauber.
      Mais uma vez, sem demérito para o baiano (que, por sinal, o Scorsese adora – e o Scorsese entende um pouco mais de cinema do que eu). E tudo a favor da redescoberta do Zé.
      Abração

      Renzo

  3. “Vai pro Faustão avacalhar com “patifarias globais”, mas não se meta a falar merda, por favor!”

    Só pra esclarecer, ou relembrar, refiro-me a quando o Madureira foi chamado pra ser juiz de um quadro patife que colocavam famosos dançando no gelo. A participação dele foi sim uma das melhores coisas em anos no Faustão. Se não viu tenta achar no you tube. Abraço.

  4. Isso não é táo relevante em um sentido geral mas queria saber qual é o problema (obsessão ???) desse(s) cara(s) com os gaúchos.
    Sério, o texto não tinha absolutamente NADA para ter algum tipo de piadinha senil Casseta e Planeta desse tipo mas ele já teve de incluir, achar algum espaço no meio do nada e escrever.
    Isso já deixa de ser apelação e passa a ser obsessão, eu hein!

    • Matheus:
      Eu meio que entendo…
      Eu, particularmente, sou obcecado com as gaúchas.
      Ir para Porto Alegre é um pouco como morrer e chegar em um paraíso pleno de walquírias. Um passeio pelo Shopping Praia de Belas é suficiente para estragar sua vida definitivamente: Você volta para casa achando todas as moças locais sem graça, meio feinhas.
      Você está no meio de Porto Alegre e passa ao seu lado a mulher mais linda que você já viu. Minutos depois, passa uma mais bonita.
      Claro, eu sei que aquelas deusas estão tão ao meu alcance quanto uma Ferrari Okm, mas o olhar, lembrava o bom e velho Sigmund Freud, é o substituto civilizado do toque.
      Maldita civilização.
      Abração
      Renzo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s