Ou Melhorou o Brasil ou Caiu o Padrão dos Visitantes…

Darwin esteve no Brasil duas vezes. Em 1831 aportou com o veleiro Beagle em Fernando de Noronha, Salvador e o Rio de Janeiro. Ficou fascinado com as espécies e a geologia. Mas, em 1836, ao aportar no Recife, sua opinião sobre as terras brasileiras mudam drasticamente.
Ele descreve cenas de violência contra escravos e relembra alguns fatos que presenciou no Rio de Janeiro na primeira passagem que não haviam sido narrados em seu diário naquela época. Sua revolta fica patente ao revelar que esperava jamais retornar a um país escravocrata como o Brasil
Einstein também não ficou muito bem impressionado com o Bananão. Em sua palestra na Escola Politécnica e na Academia Brasileira de Ciências, encontrou uma plateia incapaz de entender suas ideias e não via a hora de ir embora.
Na década de 1930, Claude Lévi-Strauss traz uma impressão negativa do Rio de Janeiro. Em Tristes trópicos, declara que não encontrou em nossa cidade tudo aquilo que era “gabado”, parecendo-lhe a Baía de Guanabara, Pão de Açúcar e o Corcovado “raízes de dentes perdidas nos quatro cantos duma boca desdentada”.

Paris Hilton afirmou que achou o Rio de Janeiro divertido. “Adorei os brasileiros. Os brasileiros sabem aproveitar a vida. São alegres e modernos”, disse a socialite que circulou pelos camarotes da Sapucaí.
Aparentemente, ela estava bêbada ao circular pela cidade, mas isso não tira o impacto ou brilho de suas impressões.
Isso quer dizer que o Brasil melhorou.
Ou que os visitantes caíram muito de padrão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s