Sobre Filmes Ruins e Piores

Michael Adams, colaborador do site de cinema Rotten Tomatoes, passou um ano em sua busca pelos piores filmes que pôde encontrar. O resultado pode ser visto no livro Showgirls, Teen Wolves and Astro Zombies.
25 das 400 pérolas cinematográficas que ele assistiu estão listadas no site da Rotten Tomatoes.

Bem, não que ele tenha copiado minha ideia – já que provavelmente ele nunca ouviu falar de mim – mas os resultados a que ele chegou são muito parecidos com os do meu livro duplo “Cinema Falado/25 Filmes Que Podem Arruinar A Sua Vida!”.


Por exemplo, aparecem na lista dele – e também no meu livro – Showgirls (1995), Battlefield Earth (2000) , Glen Or Glenda (1953) , Plan 9 From Outer Space (1959) , Ishtar (1987), Manos: The Hands Of Fate (1966) e Batman & Robin (1997).
Além desses, ele cita Robot Monster (1953), Howling II: Your Sister Is A Werewolf (1985) , The Black Gestapo (1975), Frankenstein Island (1981), Road House (1989), Maniac (1934), The Giant Claw (1957), The Terror of Tiny Town (1938), Satan’s Sadists (1969), Death Bed: The Bed That Eats (1977), Ben & Arthur (2003), Shark Attack 3: Megalodon (2002), The Roller Blade Seven (1991), Troll 2 (1992), For Y’ur Height Only (1981), Mommie Dearest (1981), The Oscar (1966) e The Giant Spider Invasion (1975)
Claro que Michael Adams não assistiu, como eu, Cinderela Baiana, Beto Rockfeller ou A Taça Do Mundo É Nossa, de nosso Brasil brasileiro e do coqueiro que dá coco, filmes que seguramente o fariam rever sua lista.
Em sua entrevista, Adams afirma que o pior diálogo que já ouviu em um filme ruim foi em Roadhouse, onde, durante uma luta, um dos personagens diz “Eu costumava comer caras como você na prisão”.
Com relação aos filmes adorados pela crítica e que ele odeia, o destaque é “O Paciente Inglês”.
Enfim, em todo o mundo, pessoas como eu estão buscando a pior experiência cinematográfica de sua vida. “Lula, O Filho do Brasil” aparentemente é tão sem sal que nem nesta lista ele mereceria entrar. Acho que o ideal é fazer como a maioria dos espectadores brasileiros: ignorar sua existência.

27 Respostas para “Sobre Filmes Ruins e Piores

  1. Você não admite, por questão de ética e princípios. Mas eu posso dizer: é óibvio que o sujeito americano chupou tua idéia. Só que lá ela vale milhões, aqui quase nada. Tranquilo que ele viu, via internet, o que fizeste e foi atrás, sem dar o crédito, óbvio, pois aí teria de repartir direitos autorais.

    Já falei aqui e repito (como diriam os luminares da Folha, os imprescindíveis): precisas dar entrevista para o David Letterman para ensinar os gringos mais do que eles sabem sobre a América.

    Mas nem você nem o chupador americano viram o top do ramo: os filmes do Teixeirinha. São imbatíveis.

    • Meu poeta:
      Outro dia vi um documentário sobre um homem elefante chinês que faz o Merrick parecer um filho do Brad Pitt com o Cary Grant…
      Abraços
      Renzo

  2. a nossa senhora enriquecida
    a padroeira de saló grande do sul
    abaixa minhas calças sem os dentes
    enquanto isso eu relaxo assistindo o ataque dos tomates assassinos

  3. Renzo, muito obrigado. Sua postagem de hoje me inspirou em voltar com o meu parado blog. Você relembrou-me de uma pérola esquecida dos festivais de cinema em todo mundo.

  4. quem raspa a buceta tem que morrer
    a minha mãe tem que morrer
    a minha filha tem morrer
    antes eu vou matar a minha mulher

    morram para nascer os pelos

    eu escrevo sobre mim
    eu vivo sob a porra da poesia

  5. eu não sou a tristeza de um corpo
    eu sou a beleza de um porco
    eu divido cada pedaço do meu porco
    eu não sou um homen fodido por um corpo

    • Fábio:
      Eu também, dado meu forte apego à minha heterossexualidade, não sou um homem fodido por um corpo.
      Já pelos juros do cheque especial, pelos impostos e taxas afins, não posso dizer o mesmo…
      Renzo

  6. Bem Renzo, diante de tantas postagens nesse tópico e belas postagens diga-se de passagem, só tenho uma coisa a dizer:

    Graças a Deus um dos filmes que mais gostei não está em nenhuma lista de piores do planeta..rs..”UM SONHO DE LIBERDADE” Com os grandes Morgan Freeman e Tim Robbins. Dentre tantos filmes que assisti, esse me deixou quase todo o tempo atento aos detalhes e surpresas que transcorriam com inteligencia e sequencia correta de fatos. abraços.

    • Roberto:
      Pouca gente lembra, mas o roteiro é baseado em um conto de Stephen King, um autor mais associado ao terror. Aliás, o diretor Frank Darabont é especialista em King: depois fez também os excelentes The Green Mile (1999) e The Mist (2008), também escritos por King. Não estão no mesmo patamar do Um Sonho de Liberdade(The Shawshank Redemption) (1994) – seguramente o melhor da série – mas ainda assim são muito bons.
      Recomendo fortemente.
      Abração
      Renzo

      • Se me permite discordar respeitosamente (embora sem a base literária para afirmar com mais segurança), considero “O Nevoeiro” o melhor destes. Aliás, foi possivelmente um dos melhores filmes do ano que foi lançado, sem contar apenas com o cinema americano, e uma conclusão simplesmente arrebatadora. Recomendo assistir ao coreano “Oldboy”, que o supera em matéria de efeito ‘cacete, que merda que eu fiz’, mas “O Nevoeiro” é sensacional.

      • Luiz:
        O Nevoeiro tem uma característica única: o final é melhor do que o do conto do King que o inspirou (que fica meio aberto) – e talvez um dos mais chocantes que eu já tenha visto desde o Carrie A Estranha (o original do Di Palma). Bem lembrado o final do OldBoy na série corretamente batizada de “cacete, que merda que eu fiz” (gostei da sacada).
        Vai lá, Roberto, que você vai gostar muito.
        Abraços

        Renzo

    • Sávio:
      É muito pouco provável, mas é bom contar com a solidariedade dos amigos – mesmo imerecida.
      Abração

      Renzo

  7. Renzo, não é solidariedade, é a pura verdade. Por que o sujeito não elencou 30 filmes ou 35, mas exatamente 25? É ÓBVIO que o cara chupou. O pessoal moita para copiar. E na lista dele, exatamente com 25 filmes, como no teu livro, existem várias “coincidências” na lista. Por que não copiaria? Porque é americano? Ele é um contemporâneo nesta época de merda. Chupa mesmo.

    • Lembro que a Yedinha era até traçável há uns anos (quase escorrego e escrevo “anos atrás…”)… Década de 1980, talvez? Confere, alguém?
      Renzo

  8. a norte americanização da paranóia
    raspou as bucetas
    a africanizaçâo da miséria
    concretou as tetas

  9. Pingback: Todo Mundo Está Falando de Filmes Ruins « Renzo Mora

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s