Vira Latas Mal Humorados

Nelson Rodrigues, sabemos, entendeu tudo. Colocando o Bananão no divã, diagnosticou:

Temos complexo de vira lata.

“Por ‘complexo de vira-lata’ entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo… o brasileiro é um narciso às avessas, que cospe na própria imagem. Eis a verdade: não encontramos pretextos pessoais ou históricos para a autoestima” disse o dramaturgo.

No geral, Robin Williams é péssimo ator. Mas sua sacada de que Chicago mandou Michelle Obama e Oprah para defender sua candidatura às Olimpíadas e nós mandamos 50 strippers e um bocado de coca, que ele soltou no programa de David Letterman, foi ótima, fazendo justiça à fama que levamos anos cultivando, seja nos pôsteres da Embratur mostrando bundas femininas, seja nas guerras de traficantes que paralisam a cidade. Troque Rio de Janeiro por Oslo, na Noruega, e a piada deixa de ter graça.

Claro, muito pior foi o Fernando Henrique tirando satisfações com Homer Simpson quando a família amarela veio ao Rio de Janeiro, para ser sequestrada.

O produtor da série, James L. Brooks, declarou “Nós nos desculpamos com a adorável cidade do Rio de Janeiro e com seu povo, e se isso não for suficiente Homer Simpson se oferece para enfrentar o presidente brasileiro no programa da Fox “Celebrity Boxing” – um show no qual celebridades de segunda categoria se digladiavam em um ringue.

Ou seja, nossas respostas indignadas e desastradas não só não melhoram em nada nossa péssima (e justificada) fama como também nos mostram como gente mal humorada que não consegue aguentar uma piada com classe.

Só para comparar, quando os Simpson foram para a Inglaterra, nada menos do que o primeiro ministro Tony Blair dublou seu personagem (enquanto Homer o confundia com Mr. Bean).

Muito se pode falar sobre uma pessoa ou um país avaliando a forma como ele reage a uma piada.

A nossa nos apresenta como os vira latas rodrigueanos. E com péssimo humor.

PS – O comentário do Nei Duclós é tão melhor que o meu texto que vou presentear os leitores e colocá-lo na íntegra.

Leiam o Nei. Como o Nelson, ele sabe das coisas.

“Do jeito que está colocada, a citação do Nelson Rodrigues é uma meia verdade, Renzo. Superamos o complexo de vira-latas em 1958, com a realeza de Pelé, segundo Nelson Rodrigues. E para ele, Garrincha era o paradigma de um país com grandeza. Colocar o complexo de vira-latas como algo sem solução, sem superação, seria contrariar Nelson Rodrigues.

Não é a primeira vez que Robin Williams tenta ser engraçado com a má fama do Brasil, cultivada, como você disse acertadamente, pela propaganda oficial, que coloca celulite sacundindo como representação do país. Não precisamos concordar com a propaganda oficial (que não nos representa) nem achar o cara engraçado obriogatoriamente. Termos de rir de uma grosseria seria, sim, complexo de vira-latas. Puxa, que cara engraçado, precisamos estar acima disso. Ara, como dizem no interior.

Como reagimos a uma piada? Rimos, ou ficamos em silêncio, mas também podemos vaiar ou xingar. Todas são reações normais, válidas. Há um leque de opções e muita gente preferiu execrar o sujeito. Isso não nos torna medíocres.

Agora, ficar reagindo mal toda vez que nos esculacham, sem uma contrapartida nossa, seria perda de tempo. Seria preciso redescobrir aqui os motivos pessoais e históricos para nossa auto-estima. Eu poderia apontar um monte delas. Costumo fazer isso e sou recebido com assombro, principalmente entre os estudantes, que jamais ouviram falar das coisas que pesquisei em décadas.

Mas nem sempre as pessoas acreditam, tamanha é a desfaçatez dessa campanha de desconstrução da soebrania nacional, de um país que ocupa um quinto do território do planeta graças às suas qualidades e não por seus defeitos. Mas aqui não é o fórum adequado para isso. Abs.”

Anúncios

Uma resposta para “Vira Latas Mal Humorados

  1. Do jeito que está colocada, a citação do Nelson Rodrigues é uma meia verdade, Renzo. Superamos o complexo de vira-latas em 1958, com a realeza de Pelé, segundo Nelson Rodrigues. E para ele, Garrincha era o paradigma de um país com grandeza. Colocar o complexo de vira-latas como algo sem solução, sem superação, seria contrariar Nelson Rodrigues.

    Não é a primeira vez qwue Robin Williams tenta ser engraçado com a má fama do Brasil, cultivada, como você disse acertadamente, pela propaganda oficial, que coloca celulite sacundindo como representação do país. Não precisamos concordar com a propaganda oficial (que não nos representa) nem achar o cara engraçado obriogatoriamente. Termos de rir de uma grosseria seria, sim, complexo de vira-latas. Puxa, que cara engraçado, precisamos estar acima disso. Ara, como dizem no interior.

    Como reagimos a uma piada? Rimos, ou ficamos em silêncio, mas também podemos vaiar ou xingar. Todas são reações normais, válidas. Há um leque de opções e muita gente preferiu execrar o sujeito. Isso não nos torna medíocres.

    Agora, ficar reagindo mal toda vez que nos esculacham, sem uma contrapartida nossa, seria perda de tempo. Seria preciso redescobrir aqui os motivos pessoais e históricos para nossa auto-estima. Eu poderia apontar um monte delas. Costumo fazer isso e sou recebido com assombro, principalmente entre os estudantes, que jamais ouviram falar das coisas que pesquisei em décadas.

    Mas nem sempre as pessoas acreditam, tamanha é a desfaçatez dessa campanha de desconstrução da soebrania nacional, de um país que ocupa um quinto do território do planeta graças às suas qualidades e não por seus defeitos. Mas aqui não é o fórum adequado para isso. Abs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s