Más Notícias: Non Habemus Francescus

Quando Harry Connick, Jr. apareceu com a trilha sonora de “Harry & Sally – Feitos Um Para o Outro”, em 1989, com uma versão espetacular de “It Had To Be You”, muita gente comemorou o surgimento de um novo Sinatra – com a vantagem adicional de ser um grande pianista de jazz.

Pois bem, o tempo passou e embora Connick seja milhões de vezes melhor do que o “outro novo Sinatra”, Michael Bublé, a idéia de que algum deles possa estar de fato à altura dos Velhos Olhos Azuis parece cada dia mais ridícula.

Ouço o novo Connick, Your Songs, e se não chega a ser péssimo, também não empolga. Arranjos de segunda categoria, repertório previsível, canto linear.

OK, ao contrário de Bublé, pelo menos Connick não imita nota por nota os arranjos de Sinatra, como um karaokê de luxo, mas a comparação entre os arranjos escritos para Francesco (como Tom Jobim chamava o velho Francis) e os feitos para Connick (em “All The Way” ou “Just The Way You Are”) é de dar pena.

Connick começou bem. Mas se perdeu ao longo do caminho.

Podem economizar a fumaça branca: Non Habemus Francescus

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Anúncios

6 Respostas para “Más Notícias: Non Habemus Francescus

    • Grande Nei:
      No ano passado, apertei a mão do filho do Homem, Frank Sinatra Jr. Bom cantor, grande músico (conduzia a orquestra do pai nos últimos anos do velho, provavelmente entendia mais de orquestração do que o Francis).
      Ele poderia ter feito mais sucesso.
      Poderia ter encontrado sua trilha.
      Mas foi amaldiçoado com o nome de “Frank Sinatra Jr.”, o que implica em uma comparação obrigatória.
      É como ser pintor com o nome de Pablo Picasso II ou querer escrever com o nome de James Joyce Filho.
      A grande sorte da Maria Rita é não ser Elis Regina 2a…
      Acho que em termos de música, estamos destinados a permanecer monoteístas.
      Abração

      Renzo

      • Esqueceste do Segundinho, filho do Roberto Carlos. Isso sim que é carga. Agora o Sinatra Jr. não tinha outra sina, mesmo que mudasse de nome. A mídia iria atormentá-lo com : Norman Dreavis, que é filho de Frank Sinatra, fez ontem show…

      • Grande Nei:
        Acho que só a Liza Minnelli escapou desse carma – embora tenha herdado da mãe os hábitos etílicos e a mania de casar com gays.
        Aliás, dizem os fofoqueiros de plantão que a Judy Garland oferecia os melhores serviços orais de toda a Hollywood.
        Sei que não tem nada a ver com o assunto, mas decidi repartir essa informação contigo, na falta de coisa melhor para fazer com ela.
        Agora, por que razão eu acumulo essas informações totalmente inúteis, isso não tem explicação.
        Renzo

  1. Amigo Renzo,

    Esse Buble é um enganador. Tá correto o Karaokê de luxo!
    Impossível surgir alguém que chegue no pé do Frank. Connick caiu na armadilha do “Novo Sinatra”. Ele encontrou o seu pequeno espaço, nada mais.

    Abração.

    • Grande Sávio:
      O Bublé é enganador, sem a menor dúvida.
      Já o Connick encontrou seu espaço e depois o diminuiu – isso é que é complicado para entender. Ou faltou talento para sustentar seu nicho ou pressões comerciais o levaram a reduzi-lo para ampliar o mercado – o que não é nada raro.
      Abração

      Renzo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s