Música Lenta

As pessoas que me conhecem superficialmente pensam que eu sou uma besta. Já as que me conhecem profundamente têm plena convicção.
Isso deve explicar o seguinte: a crítica recebeu de forma morna o novo álbum da Joyce, Slow Music.

Já eu, que sou uma besta assumida e confessa, acho que é o melhor lançamento desde o impecável Romance, da Rosa Passos.

Joyce é tão talentosa que nem precisava ser tão bonita – mas é, como prova o encontro dela com Tom Jobim no DVD Antônio Brasileiro, quando o maestro soberano não disfarça muito ao olhar para as pernas da cantora.

As influências de Joyce no álbum são, segundo ela mesma, Bill Evans e Shirley Horn.
Pois é: Acho que o Bill e a Shirley estão muito bem acompanhados em Slow Music.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s