Adiós, La Parkita; Adiós Espectrito Jr.

Alberto e Alejandro Jiménez Pérez, conhecidos como La Parkita e Spectrito Jr., eram irmãos.

Dividiam o fato de serem anões, dividiam o fato de serem lutadores mexicanos (e, como  tais, dividiam o hábito de usar, cotidianamente, máscaras protegendo suas reais identidades) e – aparentemente – dividiam seu gosto por prostitutas sexagenárias e gordas, as quais (aparentemente) eles dividiam no quarto de hotel que dividiam (sim, estou plenamente consciente  da repetição da palavra dividir. Licença poética, tá ligado?)

Estranho o mundo das minorias.

O mercado de lutas parece preferir pessoas grandes e intimidadoras, o mercado de sexo pago parece privilegiar as pessoas jovens e magras.

Foi do encontro de dois lutadores anões  com duas prostitutas – uma delas gorda e a outra com 65 anos – que resultou o crime que levou para sempre com La Parkita e Spectrito Jr., enlutando o mundo dos esportes mexicano.

Mais estranho ainda é o fato das duas “senhoras de programa” terem matado aquela que talvez fosse sua única clientela no planeta.

Canto, enlutado e com os olhos rasos d’água:

Adiós muchachos. Ya me voy y me resigno…
Contra el destino nadie la talla…
Se terminaron para mí todas las farras,
mi cuerpo enfermo no resiste más…

Acuden a mi mente
recuerdos de otros tiempos,
de los bellos momentos
que antaño disfrute…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s