Me contaram lá no morro que o mundo ia se acabar… em 2012

Os Originais do Samba estavam entre os primeiros a anunciar que o fim estava próximo: “Espalharam um boato, lá no morro que o mundo ia se acabar,/ Quero sambar !/ Peguei tudo que era meu, meu violão, cuíca, agogô e o ganzá,/ Quero sambar !”

Longe de mim questionar a sabedoria do grande Mussum, mas a questão antecede a gravação do samba retromencionado.

Aparentemente os maias previram o fim do mundo para 2012. Segundo o site Conspiração, dia 21 de dezembro de 2012 acaba o calendário de conta longa da cultura Maia.

“A contagem de datas neste calendário teve início no dia 11 de Agosto de 3114 a.C. (no calendário gregoriano proléptico), e é tão preciso que eles conseguiram prever e registrar todos os eclipses solares até 2012, com uma margem de erros insignificante.”

Os povos maias constituem um conjunto diverso de povos nativos americanos do sul do México e da América Central: setentrional. Eram astrônomos excepcionais, embora suas previsões não fossem lá grande coisa – por exemplo, não conseguiram antecipar que nos séculos VIII e IX suas cidades entrariam em decadência e que em 1519 Hernán Cortez iria conquistar seu território.  Entre seus principais hobbys estava o sacrifício ritual de seus compatriotas e de crianças – o que pode ser atribuído à falta de TV a cabo na região.

Bem, não acredito muito que o mundo vá acabar tão cedo – ou que os maias tivessem “cantado a bola”.

Parece muito mais provável que o responsável pela elaboração do calendário tenha morrido (possivelmente em um dos animados rituais de sua turma) ou ficado de saco cheio (“quer saber – não me pagam tão bem assim e eu não vou ficar o resto da minha vida calculando essa porra de eclipse lunar. Vão tomar no cu. Até 2012 está bom demais. Ninguém vai estar vivo para ver se eu acertei mesmo. Estou parando por aqui.”)

Mas, pelo menos, estas previsões inspiraram mais um filmeco catástrofe onde o grande projeto de Paulo Cesar Peréio torna-se verdadeiro: a demolição do Cristo Redentor do Rio de Janeiro.

Como disse nosso ator mais interessante: Minha opinião é a mesma do [arquiteto] Flávio de Carvalho. Ele fez um projeto muito bem estruturado, com cálculos minuciosos, para demolir o Cristo Redentor. Se o Flávio falou, “tá” falado. Para mim , ele é um gênio. Essa é a minha proposta. Quero demolir o Cristo.

2 Respostas para “Me contaram lá no morro que o mundo ia se acabar… em 2012

  1. Renzo, precisamos resolver o seguinte paradoxo. O Apocalipse só existirá se houver um narrador. Profecia não vale. Profecia não é reportagem, é pauta. Se é fundamental a existência de um narrador obrigatório para que haja (de haja o que hajar) Apocalipse, como poderá haver Apocalipse, que é a eliminação total da vida humana? Vamos imaginar a humanidade inteira descendente do John Cusack. Talvez seja menos apocalíptico do que gerações com a cara e os trejeitos do David Caruso. Resolva essa, Demiurgo.

  2. Pingback: O Apocalipse em 2012 « Renzo Mora

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s