11 (ou 14) Anos Sem Sinatra

Sinatra morreu pela terceira vez em Los Angeles, há exatos 11 anos, em 14/05/1998, às 22h50m – horário local – oitenta e dois anos depois de ter nascido morto em 12/12/1915, em Hoboken, New Jersey.
Nesta sua primeira vez, sua avó Rose o ressuscitou com um banho de água gelada.
Mas, das três mortes, talvez a mais definitiva tenha sido em 25/02/1995, quando ele subiu ao palco pela última vez em Palm Springs, em um espetáculo no qual cantou apenas seis canções para depois embarcar em sua limusine e praticamente desaparecer dos olhos do público pelos três anos seguintes.
O palco era a razão de viver de Sinatra, “seu único reino de paz – sem o qual ele morreria… sua sobrevivência dependia da platéia” escreveu a amiga Shirley MacLaine, que o conheceu como poucos.
O mundo vai lembrar hoje dos 11 anos da morte de Sinatra.
Mas, para aquele que os conheceram bem, sua morte talvez tenha começado um pouco antes, ao largar o microfone no palco daquele 1995.
Como dizem os argentinos de Carlos Gardel, Sinatra está cantando cada vez melhor.
Cada vez que aparece um novo cantor, um novo som,uma nova moda musical, Sinatra parece mais definitivo – mesmo sem cantar há 14 anos.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

3 Respostas para “11 (ou 14) Anos Sem Sinatra

  1. Olá Renzo;
    Hoje reli algumas páginas do seu livro sobre o Frank e o capítulo dedicado ao grande Johnny Hartman. Deu vontade de ouvir Sinatra, Hartman e Holiday (agora tô pegando pesado com o Cd da Holiday “Last Recording”) acompanhado de um uísque. Ainda coleciono cd’s e acho que enquanto existir no mercado e puder adquiri-los vou continuar.
    Ouvi todo o cd Francis A. & Edward K. (um disco adulto) e um que me surpreendeu do Hartman que o gravou em Tokyo com um trio de jazz japonês (“The Tokyo Albuns”).
    Desculpe amigo, tô falando demais e misturando assuntos porque o teor do malte no sangue tá um pouco elevado…
    Rapaz não sei qual seria o tamanho da minha emoção se tivesse assistido a algum show do Frank, principalmente na fase final, acho que tem uma carga emocional a mais…

    P.S. Uma dúvida que talvez você possa me ajudar: Você sabe qual cantor e que música é interpretada no início e no final do documentário sobre o Robert Evans?
    Grande abraço

    • Grande Sávio:
      Bom te receber de volta.
      O Hartman em Tokyo é muito bom (se não me engano, tem Fly Me To The Moon e The Shadow Of Your Smile, com um grave de arrebentar)
      Possivelmente, a música que vc está procurando é
      “What’ll I Do?”
      (1924)
      Written by Irving Berlin
      Performed by William Atherton

      Ela toca no início e no final do filme.
      Se por acaso não for essa (mas tenho quase certeza que é), vai aqui o link com todas as músicas do documentário:
      http://www.imdb.com/title/tt0303353/soundtrack
      Abração
      Renzo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s