A Poesia na Linguagem Cinematográfica

Na busca de imagens da deliciosa Matilde Mastrangi para o post “Mal das Pernas”, deparei-me com o site do Paulo Briguet, Repórter das Coisas, no qual ele relembra um dos diálogos mais bonitos do cinema nacional.
A produção chama-se Pornô, rodada em 1981, com direção do próprio David Cardoso (além de Luiz Castellini e John Doo) e primoroso roteiro de Ody Fraga.
Na obra, Matilde encarna uma feminista “avant la lettre”, que se recusa a permanecer refém das vontades e disposições masculinas, que é senhora de seu destino e não recua diante da imensa tarefa de perseguir seus desejos, confrontando uma sociedade patriacal e machista (além do diretor do filme).
Na cena em questão, Matilde vira-se para um desanimado David Cardoso e diz:

– Vai me comer logo ou vai ficar enrolando?

Quando David se retira de cena, sem atender à convocação, Matilde vaticina em voz alta:

– Acho que esse cara gosta mesmo é de vara

Pelo contexto da obra, é de se supor que Matilde não estivesse falando de pescaria.

Como a foto abaixo demonstra, a conclusão da personagem de Matilde não é de todo injustificada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s